confiança. excelência. ​profissionalismo.

    DENSITOMETRIA ÓSSEA

     

     

    O QUE É

     

    É um exame simples, radiológico de baixa radiação, que determina a massa óssea dos ossos do corpo humano, em especial coluna lombar, anca e punho.

    A Densitometria Óssea é uma técnica que permite medir a quantidade de osso nas diferentes partes do esqueleto e assim predizer o risco de fracturas. A densitometria óssea estabeleceu-se como o método mais moderno, aprimorado e inócuo para a medição da densidade mineral óssea devido a doenças que interferem no metabolismo ósseo ou na resposta a terapêuticas com o intuito de minimizar os efeitos da osteoporose. 

     

     

    PARA QUE SERVE

     

    A Densitometria Óssea é indispensável para o diagnóstico e tratamento da osteoporose e outras possíveis doenças que possam atingir os ossos. Os aparelhos hoje utilizados conseguem aliar precisão e rapidez na execução dos exames, com baixa exposição à radiação quer para o paciente como para o técnico. Existem variadas técnicas para predizer o risco de fractura óssea. Contudo, nem todas têm a capacidade de avaliar a densidade mineral óssea nos locais mais atingidos pela osteoporose como as vértebras, a anca ou o punho.

     

     

    OSTEOPOROSE

     

    A osteoporose é definida como uma doença caracterizada por uma baixa massa óssea e deterioração da micro-arquitectura do tecido ósseo. Literalmente, significa osso poroso. Os ossos, antes resistentes, tornam-se frágeis aumentando o risco de fractura.

    A osteoporose é uma doença que evolui de uma forma silenciosa na maioria dos casos, sem o doente se aperceber desta fragilidade, até ao dia em que possa sofrer eventual fractura na sequência de uma queda ou de um pequeno traumatismo.

    As partes mais afectadas na osteoporose são o colo do fémur, a coluna, a anca e o punho.

    As partes de interesse na obtenção de imagens para diagnóstico são o fémur e a coluna vertebral. A única forma actualmente de diagnosticar a osteoporose numa fase precoce, ainda antes do risco de fractura ter aumentado, é através da medição da densidade mineral óssea.

    PREPARAÇÃO PRÉVIA

     

    1. O paciente pode alimentar-se regularmente no dia no exame. No entanto, deve evitar a ingestão de suplementos de cálcio nas 24 horas prévias à realização do exame. 

     

    2. O paciente deve trazer consigo uma lista com os medicamentos que se encontra a tomar. 

     

    3. Aconselha-se a utilização de roupas leves e confortáveis, evitando acessórios que contenham metais que podem alterar os resultados do exame.